Perdidas: Histórias Para Crianças que Não Têm vez

Perdidas: Histórias Para Crianças que Não Têm vez

Revoltados com as recentes mortes de crianças por bala perdida — como a de Maria Eduarda, de 13 anos, na escola ou a de Arthur, baleado quando ainda estava na barriga da mãe — escritores passaram a escrever, espontaneamente, sobre aqueles meninos e meninas. Contos, crônicas e poemas, de autores como Edney Silvestre, Noemi Jaffe, Santiago Nazarian e Andrea del Fuego, tratam de infância e violência, homenageando e dando voz àquelas crianças que não têm vez.
Organização de Alexandre Staut e Kátia Gerlach (Imã Editorial)

Assista ao vídeo de divulgação do projeto editorial: